20 de setembro de 2020

Athletico vira nos acréscimos sobre Coritiba e é tri no Paranaense

No tira-teima do clássico Atle-Tiba em decisões de Campeonato Paranaense, melhor para Athletico. Nesta quarta-feira (5), o Furacão superou o Coritiba por 2 a 1, de virada, no estádio Couto Pereira, e assegurou o título estadual pela 26ª vez, sendo a terceira consecutiva.

De quebra, o Rubro-Negro passou à frente na estatística de títulos paranaenses conquistados em cima do maior rival. Foi o nono troféu de Estadual obtido diante do Coritiba (o terceiro nos últimos cinco anos) contra oito do Coxa. O time alviverde é o maior campeão do estado, com 38 taças.

Os gols da vitória do Athletico saíram nos acréscimos da etapa final, quando o jogo parecia sentenciado aos pênaltis, após 90 minutos de baixo nível técnico e poucas chances para os dois lados. O Furacão atuava pelo empate, pois tinha vencido em casa por 1 a 0, no último domingo (2).

Os primeiros 45 minutos foram marcados por faltas e muita marcação, com poucas chances. A melhor delas, com bola rolando, foi do Coritiba, aos 36, em um chute cruzado do atacante Igor Jesus, defendido por Santos, goleiro do Athletico. O gol saiu apenas na bola parada. Aos 49, o lateral rubro-negro Adriano cometeu pênalti no atacante alviverde Robson. O zagueiro Sabino deslocou Santos na cobrança e abriu o placar para o Coxa.

Na etapa final, as duas equipes sentiram o desgaste. No Athletico, Adriano reclamou de dores e foi substituído, assim como o atacante Bisolli, que sentiu a coxa esquerda. Pelo Coritiba, Igor Jesus pediu alteração ao cair no gramado, sem condições de seguir. Isso porque no primeiro tempo, o Coxa tinha perdido o meia Rafinha, com suspeita de fratura, após uma disputa de bola com o lateral Abner.

O jogo seguiu truncado. Aos 22 minutos, o meia Léo Cittadini arriscou de fora da área, em chute rasteiro, e forçou Muralha, goleiro alviverde, a se esticar para evitar o gol. Três minutos depois, o Coritiba respondeu com o meia Gabriel, que recebeu cruzamento de Róbson, próximo à meta de Santos, e concluiu para grande defesa do arqueiro rubro-negro.

Com os times pouco inspirados, a partida caminhava para os pênaltis. Até que, nos acréscimos, o lateral Khellven, que entrou no lugar de Adriano, aproveitou a sobra, de fora da área, e acertou o ângulo do gol de Muralha, deixando tudo igual. Forçado a atacar e com só dois minutos para evitar o título rubro-negro, o Coritiba deu brecha e o Furacão liquidou a fatura, com o meia Nikão. Virada e taça para o Athletico.

As equipes voltam a campo no fim de semana, pelo Campeonato Brasileiro. De volta à Série A, o Coxa recebe o Internacional no sábado (8), às 19h30 (de Brasília). No mesmo dia, só que mais cedo, às 19h (de Brasília), o Furacão visita o Fortaleza, na partida que abre a competição.