27 de setembro de 2020

Golaço, raça e vitória

Foi um clássico com seus ingredientes habituais. Equilíbrio, muita pegada, polêmicas… além de muita raça e vitória do Furacão.

Raça como a de Fabinho no lance do gol. Raça e muita categoria. Logo no começo, aos 11’, Jonathan invadiu a área tabelando com Fabinho. A bola desviou na zaga do Coritiba, mas voltou para Fabinho.

O chute saiu forte, com raiva, na gaveta! Um golaço para espantar a má fase e colocar o Furacão em vantagem! 

O rival tentou reagir, mas parou no goleiro da Seleção Brasileira. A melhor chance deles aconteceu em um chute de fora da área, que desviou em Pedro Henrique e ia em direção ao ângulo. Mas um voo impressionante de Santos evitou o empate.

Logo o Athletico retomou o controle de jogo e voltou a ser mais presente no ataque, mas novas chances de gol só apareceram no segundo tempo.

Abner quase surpreendeu Wilson em um escanteio que foi direto para o gol. E, aos 26’, o Furacão ficou com um homem a mais em campo. Igor Jesus foi expulso ao receber o segundo amarelo, em um lance em que atingiu Thiago Heleno.

Depois, o Athletico administrou o jogo e teve a chance de marcar. Bissoli e Revanelli estiveram muito perto de marcar. E ainda houve um pênalti sobre Christian ignorado pelo árbitro de vídeo.

Mas o mais importante estava garantido. Vitória no clássico, três pontos na tabela, uma posição melhor na classificação… E o embalo retomado para a sequência na temporada.

Agora, é CONMEBOL Libertadores. Terça-feira (15), o Furacão entra em campo na Bolívia, às 19h15, contra o Jorge Wilstermann.