12 de agosto de 2020

Número de assaltos em ônibus de Curitiba caiu 74% desde 2016

O número de assaltos no transporte coletivo de Curitiba caiu 74% desde 2016 em Curitiba. Naquele ano, tinham sido registrados 3.111 assaltos. No ano passado, os casos somaram 794.

Os dados correspondem ao número de boletins de ocorrência registrados pelos cobradores e motoristas e acompanhados pela Urbanização de Curitiba S.A. (Urbs). Os assaltos vêm caindo ano a ano. Em 2017, primeiro ano da gestão do prefeito Rafael Greca, foram 1.678. No ano seguinte, em 2018, 1.115 ocorrências. Somente em relação a 2018, houve queda de 28% nas ocorrências.

Em 2016, a média era de 8,5 assaltos por dia. No ano passado, a média estava em 2,18. Em 2016 foram R$ 490,7 mil  de prejuízo com os assaltos. Em 2019, esse valor somou R$ 120 mil.  

Ações da Guarda Municipal e colocação de novas câmeras de segurança nos ônibus têm contribuído para a queda nos assaltos, segundo o presidente da Urbs, Ogeny Pedro Maia Neto. 

“A Guarda Municipal intensificou as operações no transporte coletivo e além disso, a presença de câmeras de monitoramento nos novos ônibus entregues desde 2017 reforçam a segurança”, disse o presidente da Urbs. 

A frota do transporte coletivo vem sendo renovada desde dezembro de 2017. São 317 ônibus novos, todos equipados com câmeras, número que deve chegar a 450 em 2020.

Cada modelo de veículo tem um número de equipamentos suficiente para registrar toda movimentação do interior dos ônibus.
Nos biarticulados, por exemplo, são 8 câmeras em cada ônibus, e nos modelos comuns, mais curtos, 4 câmeras. As imagens ficam armazenadas no Centro de Controle e Operações da Urbs, à disposição das autoridades.

Patrulha

A Guarda Municipal desenvolve um trabalho específico para inibir diversos tipos de delitos por meio da Patrulha do Transporte Coletivo. Equipes fazem rondas, mantêm presença em estações-tubo e terminais e fazem operações estratégicas que incluem abordagem a pessoas dentro dos ônibus.

Só no ano passado foram reprimidas mais de 70 situações relacionadas à importunação sexual dentro de ônibus, com a condução dos suspeitos à delegacia, após acionamento da vítima ou de testemunhas, pelo telefone de emergência 153 da Guarda Municipal. Junto com repressão a danos, tentativas de invasão e roubos, foram atendidas 983 ocorrências na rede de transporte em 2019.

O cidadão pode contribuir repassando situações de delito no transporte coletivo para a Guarda Municipal, por meio do telefone 153. A ligação é atendida 24 horas por dia por um dos profissionais do Centro de Operações da Guarda Municipal.

Colher informações básicas, como a cor da roupa, óculos ou bonés, ajudam na identificação posterior. A partir da ligação é possível deslocar uma equipe da Guarda Municipal em trabalho de rua que estiver mais próxima do endereço para averiguação de uma situação de delito em flagrante e fazer abordagens a pessoas suspeitas

Principal meio de deslocamento dos cidadãos curitibanos, o sistema de transporte da capital conta atualmente com 254 linhas urbanas operadas por três consórcios de empresas privadas que disponibilizam uma frota operante de 1.231 ônibus. 

As linhas fizeram, em média, 14,1 mil viagens por dia, percorrendo mais de 273 mil quilômetros. Em média, a Rede Integrada de Transporte transporta 1.228.694 passageiros por dia útil.