12 de agosto de 2020

Saúde divulga novos números de casos de sarampo em Curitiba

Balanço divulgado nesta quinta-feira (16/1) aponta 459 casos confirmados de sarampo em Curitiba desde agosto de 2019 – 52 deles são novos. A faixa etária em que há maior número de registros confirmados é entre 20 e 29 anos, 54% do total. A idade mediana segue 22 anos. Em apenas 23 casos (5%) foi necessária a internação hospitalar e todos já tiveram alta.

Além dos confirmados, a Secretaria Municipal da Saúde investiga, em parceria com a Secretaria de Estado da Saúde (SESA-PR), 633 casos suspeitos da doença no município – a maior parte só pode ser confirmada após a realização de exame de sangue, coletado sete dias após o surgimento das manchas vermelhas na pele.

A maior concentração de casos no país é no estado de São Paulo, com 15.357 casos confirmados de sarampo, de acordo com boletim divulgado no dia 26 de dezembro. A capital paulista concentra 55% dos casos confirmados naquele estado.

A lógica é semelhante no Paraná, com maior concentração de casos na capital do estado devido à maior densidade populacional de Curitiba.

Mas foi pelos viajantes que o vírus acabou “vindo” para a capital paranaense, provavelmente devido à grande ligação comercial que a capital paranaense tem com a capital paulista, favorável ao trânsito de pessoas entre os dois municípios.

A partir da introdução do vírus do sarampo em Curitiba, a transmissão passou a ocorrer mais entre as pessoas deste município.

Calendário Nacional de Vacinação

Em Curitiba, independentemente de haver ou não campanha, a vacinação de rotina nos 110 postos de saúde não deixa de acontecer, seguindo o recomendado pelo Ministério da Saúde, no Calendário Nacional de Vacinação.

De acordo com esse calendário, crianças, adolescentes e adultos de até 29 anos devem ter registro de duas doses da vacina contra o sarampo, feitas após um ano de idade.

Adultos de 30 a 49 anos devem ter pelo menos uma dose desta vacina, feita após um ano de idade.

Desde 22 de agosto, o Ministério da Saúde também recomenda uma dose extra para bebês de 6 a 11 meses de idade.

Essa dose promove uma imunidade temporária, sendo necessário, realizar as duas doses desta vacina previstas no calendário de rotina das crianças brasileiras após este bebê completar 1 ano de idade (a vacina tríplice viral aos 12 meses e a tetra viral aos 15 meses de idade).

Em Curitiba, a cobertura da vacina contra sarampo em crianças de 1 ano de idade é de 96,7% hoje. E, nos dez anos anteriores, essa cobertura vacinal ficou entre 93% e 100,4%.

De 1º de janeiro até esta quinta-feira (16/1), foram aplicadas em Curitiba 6.577 doses de vacina contra o sarampo e no mesmo período do ano passado foram 4.414.