27 de outubro de 2020

Vitória formada no Caju

Foi a vitória mais difícil da sequência atual. O Bahia deu muito trabalho, neste sábado (26), mas não conseguiu impedir o quarto triunfo seguido do Athletico. Três pontos conquistados com muito suor e sofrimento.

O Furacão demorou a encontrar o seu jogo. Jogando no Caldeirão, o Bahia de Mano Menezes adiantou a marcação e dificultou muito a criação de jogas pelo meio-campo athleticano.

O primeiro tempo foi quase todo assim, sem chances para nenhum dos lados. Foi só depois dos 38’ que o Athletico conseguiu ameaçar o adversário. E esteve três vezes muito perto do gol. Dois chutes de Erick e uma boa jogada de Cittadini.

Apesar da força da marcação do adversário, o Athletico era superior em campo. E aos 25’, Abner fez um cruzamento perfeito na área. O endereço era a cabeça de Christian, que surpreendeu a defesa do Bahia e apareceu livre para marcar.

A vitória parecia encaminhada, mas ainda era necessário superar mais um susto. Aos 33’, Santos saiu para cortar uma bola tocada para Rossi e, sem intenção, derrubou o adversário. Pênalti marcado com o auxílio do VAR.

E então foi a hora do goleiro da Seleção Brasileira brilhar. A cobrança de Clayson foi forte e no canto, mas Santos voou para mais uma lendária defesa.

Três pontos garantidos por duas gerações formadas no CAT Caju.

Agora, são duas vitórias seguidas no Brasileirão. E duas na CONMEBOL Libertadores. E é pelo torneio continental que o Athletico volta a campo na próxima terça (29), para mais um duelo contra o Jorge Wilstermann.